• Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
O CIMJ passou a integrar, com o CECL, o Pólo CIC.Digital da FCSH, agora em fase de institucionalização.

Mercado de Media em Portugal no Período Marcelista, de Susana Cavaco, Prémio FCG

O livro recentemente publicado pela Colibri, da nossa colega Susana Cavaco, professora de Ciências da Comunicação da Universidade do Porto, e investigadora do CIMJ, intitulado “Mercado media em Portugal no período marcelista - Os media no cruzamento de interesses políticos e negócios privados”, acaba de ser distinguido com o Prémio Fundação Calouste Gulbenkian, História Moderna e Contemporânea de Portugal – Prémios da Academia Portuguesa de História.

Trata-se, com efeito, de uma excelente obra sobre o período em questão, abordando a trajectória inicial de Marcello, as relações com a imprensa, as eleições de 1969, as questões de regulação, públicos e mercados e, por fim, as encruzilhas do mercado de imprensa entre o poder político e o poder económico. Este trabalho começa, por assim dizer, com um desafio que ainda hoje nos questiona e que foi lançado em 1971 por Francisco Pinto Balsemão: Que pensar hoje da chamada "censura económica" no sistema de media? Miller Guerra dizia, então (final dos anos 60) que havia um duplo sistema de censura - a censura prévia e o sistema económico. Hoje, é certo e sabido que a censura prévia já lá vai, mas a dita "censura privada", invocada por Miller Guerra?

No quadro das hipóteses da obra,  é confirmado que o  movimento de concentração de imprensa durante o marcelismo nem sempre se submeteu ao controlo de Caetano (caso do grupo Quina). Além disso, desaparecem o Diário da Manhã e A Voz (1971) para dar lugar à Época e emergiu o Expresso (1973). Este sim (para além do DL, do República, e de alguma Rádio - do Página Um (de José Manuel  Nunes) da RR, do Zip-Zip da RTP, etc.) um forte anúncio de necessidade de abertura que escapava claramente ao regime.

Refere que Caetano pautou a sua actividade na procura de uma boa imprensa  e de distanciamento face aos grupos de pressão económica "plutocráticos e latifundiários", distanciamento ainda face ao tráfico de influência (de tendência contrária, por suposto). A estratégia de comunicação seguida enquadra-se em geral nesse pressuposto, muito embora no sector de imprensa tal não se tenha verificado a contento, dir-se-ia.  A marcha da história é inexorável e em 1968, quando Marcello Caetano ascende ao poder, 20% dos jornalistas já tinham formação académica, o que fazia uma diferença significativa no novo contexto, pós-lutas académicas dos anos 60.

Escreve a pp. 573, que “perante o dilema: abertura política (“melhor imagem”) mas sem controlo da informação ou retrocesso na abertura política (“má imagem”) mas controlo mais eficaz da informação, Caetano optou por sacrificar a evolução política do regime e a imagem que pretendeu dar no início do seu primeiro mandato.” (p. 573). A "imagem" de Caetano nos anos 70 seria fundamentalmente aquela que era dada pela televisão, que era absolutamente idólatra e propagandística, a tal ponto que chegou a ser motivo de críticas regulares na própria entourage de Caetano (vejam-se as cartas - citadas no livro - de Jorge Rodrigues a Marcello).

Fica finalmente a ideia de que uma má opção sobre a política africana é central neste tema, o facto da ditadura portuguesa nada ter aprendido no início dos anos 60 com a independência generalizada das colónias africanas dependentes de nações europeias, essa falta de visão política, acabou por estar na origem de vários anacronismos que protelaram a entrada de Portugal no contexto das nações democráticas europeias. Um livro a reter, no quadro da bibliografia portuguesa de história dos media. (FRC)

 

 

NOTÍCIAS

Programa Born from Knowledge
O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) promove o programa Born from Knowledge, através do qual se associa ao Web Summit. O programa reúne um conjunto de iniciativas, entre...
Aquele outro Mundo que é o Mundo - Bolsa de criação jornalística
Estão abertas as candidaturas para a atribuição de uma bolsa de criação jornalística que visa promover condições para a realização de uma experiência de reportagem sobre temas relacionados com o Desenvolvimento. “Aquele...

CALLS

Extended Deadline - CFP - Special Track “Digital games in Assistive Environments” in TISHW 2016 - (27 junho 2016)
In recent years, there has been increasing interest in applying digital games to such contexts as healthcare, sports, occupational therapies and rehabilitation. Although much has been debated about its use in...
I Seminário de História da Comunicação - Universidade do Minho | 25 de outubro de 2016
Termina no dia 15 DE JUNHO o período de submissão de propostas ao I Seminário do GT de História da Comunicação da Sopcom, que o CECS organiza na Universidade do Minho....

EVENTOS

Apresentação do livro 'Gender in focus: (new) trends in media' 7 de junho, Braga
O livro 'Gender in focus: (new) trends in media', editado por Carla Cerqueira, Rosa Cabecinhas e Sara I. Magalhães, que explora as interrelações e negociações entre comunicação (mediática) e género, sobretudo...
PLUNC 2016
OPEN CALL - PLUNC 2016 - Festival de Novos Media e Artes Digitais. A segunda edição do PLUNC vai ser realizada de 29 de Setembro a 2 de Outubro, nas zonas...